outra e eu

Nada fazia sentido. Nem para mim e acredito que para ninguém fizesse. Era surreal, anormal e um autêntico pesadelo. 

O mundo começou a girar. Pela primeira vez senti isso. Cada vez mais célere até atingir uma velocidade esmagadora. Depois parou. Tão de repente como tinha aparecido, pareceu ter-se ido embora. Mas nada estava nada no seu lugar. Tudo tinha sido recolocado e nada foi parar ao mesmo sítio. Algo se partiu e tenho a certeza de que nunca será substituído. Seja lá o que foi, não faz falta! 
Está tudo de pernas para o ar e com a cabeça no chão. Mas tudo agora faz sentido. Pela primeira vez. Tudo faz sentido de uma maneira estranha, mas confortável e, mais importante, de uma forma estável. 
Quando reparo já não sou eu. Conheço a pessoa em que me vejo. Aquela rapariga dos meus sonhos. Quando sonhava com ela, não a conhecia, mas agora sei não somos a mesma pessoa, mas que estamos dentro do mesmo corpo. Achava que isso era impossível, pois só há espaço para uma delas. Não é assim: é possível, mas só há espaço para uma delas. 
Quando descobri que aquela rapariga podia ser eu, transformei-me nela.
… e a outra desapareceu. Não sinto a sua falta. Não sei quem ela era, nem nunca ninguém verdadeiramente a conheceu.


20 comentários:

  1. C'est vrai, apesar de as mentalidades já estarem a mudar, ainda temos um longo caminho a percorrer...

    ResponderEliminar
  2. gostei muito de ler :D também eu entendo o que é ter mais do que uma pessoa dentro de nós...

    beijinhos, Nádia
    My Fashion Insider

    ResponderEliminar
  3. Talvez leia o livro primeiro! :)

    Eu nem consegui reparar em mais nada senão naquele brilho exagerado :s

    ResponderEliminar
  4. Love the Pictures! the second one is my Fav.!
    follow new :)

    kisses

    ResponderEliminar
  5. Gostei imenso do texto *
    beijinho

    pegadasdeumaprincesa.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. não me canso de ouvir a música :')
    obrigada por gostares do post :d eu cá adoro a segunda foto deste ;)

    ResponderEliminar
  7. sim, não tens de quê, sim, eu sei, eu coloquei para não comentarem, não gosto muito de SOJA, mas ouço algumas músicas e quando as ouço fico viciada (:

    ResponderEliminar
  8. Vou tirar logo que me lembre de sair de casa com a câmara :)

    ResponderEliminar
  9. Eu acho que na nossa geração começa a ser "banal" o uso de tatuagens e o gosto por tatuagens, daí já ser mais simples ;b e sim, eles são uns amores +.+

    ResponderEliminar
  10. Também é das primeiras vezes que faço algo assim na escola :)

    ResponderEliminar