cair

escrevi isto quando me pediram para escrever sobre a morte de alguém. nunca foi obrigada a enfrentar nenhuma perda muito próxima, não sei o que é ir a um funeral; mas sei o que é sentir saudade, sei o que é não compreender a morte, nem o seu propósito, nem a sua justiça. sei o que é sentir a inutilidade, a fraqueza e a incapacidade face à morte. isso eu sei. foi sobre isso que escrevi. 

O mundo poderia não estar a cair, o céu poderia continuar azul e o solo poderia continuar sob os meus pés, mas tive que olhar para verificar se assim seria. Passados segundos lembrei-me que nem isso importava. Se o chão desabasse debaixo dos meus pés, talvez não me custasse tanto sobreviver. Se o sol deixasse de brilhar, talvez não me custasse tanto manter os olhos abertos e ver. Se o ar deixasse de existir, não seria tão difícil respirar.
Manter o raciocínio numa linha lógica e contínua era algo que nem podia ser imaginável. Estar de pé era tão doloroso como se estivesse a sentir os quilómetros de ar que tinha por cima de mim. Respirar era a tarefa mais complicada e contrária que poderia fazer. Contrária porque eu não queria. Não queria respirar também!
Foi a esperança que me pôs assim. Foi a esperança que me deixou de rastos quando vi a linha contínua do seu monitor cardíaco. Aí as horas deixaram de contar, os dias deixaram de passar e sei que é garantido que nunca mais haverá noite nem dia depois daquele. Depois de uma noite escura só ultrapassada pelas trevas, aprendi que não pode haver mais noite. Depois de dias, horas, minutos e quatro segundos sentada na beira da sua cama, aprendi que não pode haver mais dia. Tudo acabou ali. Para ela e para mim, que irei com ela para onde quer que ela vá!
Porque naquele quarto vazio e frio do hospital percebi como o caminho pode ser difícil, mas eu conseguirei encontrá-la onde quer que ela esteja. A barreira já está ultrapassada por ela, depois serei eu.
Se o chão desabasse debaixo dos meus pés, seria mais fácil cair!
(inventado)

6 comentários:

  1. Eu gostava era de ter a relação que ela tem com a mae dela, com a minha *-*

    ResponderEliminar
  2. Eu é que agradeço pelas minhas palavras terem significado para alguem :)

    ResponderEliminar
  3. e todos os anos é a mesma coisa! ou as pessoas mudam mesmo com as passagens de ano ou mudam de tradições xD é que é sempre a mesma história..

    ResponderEliminar
  4. Muito obrigada querida, também adoro o visual do teu blog!

    ResponderEliminar
  5. Olá fofinha :p criei um novo blog com uma fanfic que escrevi *1D* Se quiseres passar lá e ver se gostas ia ficar muito feliz :)) E se não és fã, podias ler na mesma porque eles entram apenas como personagens e o que importa é o conteúdo x) Beijinhos*

    ResponderEliminar
  6. Muito obrigada e bom ano também para ti ! Oh, é bom saber :')

    ResponderEliminar